Temer manifesta 'profunda preocupação' sobre escalada da violência na Síria

Temer manifesta 'profunda preocupação' sobre escalada da violência na Síria

Presidente também condenou o uso de armas químicas durante discurso na Cúpula das Américas, em Lima, no Peru. Por G1, Brasília 14/04/2018 12h47 Atualizado há menos de 1 minuto O presidente Michel

Leia tudo

Presidente também condenou o uso de armas químicas durante discurso na Cúpula das Américas, em Lima, no Peru.
Por G1, Brasília

14/04/2018 12h47 Atualizado há menos de 1 minuto

O presidente Michel Temer afirmou neste sábado (14) na 8ª Cúpula das Américas, em Lima, no Peru, que o Brasil tem "profunda preocupação" sobre a escalada da violência na Síria. O presidente condenou o uso de armas químicas e disse que é "urgente" que todos os envolvidos se unam para cessar "tanto sofrimento".

"Eu quero manifestar a profunda preocupação do nosso país com a escalada do conflito militar na Síria. Já é, pensamos nós, passada a hora de se encontrarem soluções duradouras, baseadas no direito internacional, para uma guerra que se estende há tempos demais, e um custo humano elevado também demais", disse Temer durante discurso na cúpula.

Temer condenou, ainda, o uso de armas químicas e armas nucleares.

"Condenamos, naturalmente, o uso de armas químicas, que é inaceitável. Essa é uma tese pregada, divulgada no nosso país há muito tempo. Mesmo a utilização de armas nucleares, de energia nuclear, no nosso caso não é proibida apenas pela ação do governo, mas é um caso de estado, já que está escrito na Constituição que armas nucleares e experiências nucleares apenas para fins pacíficos", afirmou o presidente.

Combate à corrupção
Temer também falou sobre corrupção que, segundo ele, "corrói tecidos sociais" e "compromete a gestão pública".

"O tema desse encontro mobiliza todas as nossas sociedades. O Brasil não é exceção. Não se pode tolerar a corrupção. A corrupção corrói tecidos sociais, compromete a gestão pública e privada, tira recursos valiosos da educação, da saúde, da segurança. O combate a corrupção, portanto, é imperativo da democracia. Democracia que, por sua vez, é a maior arma que temos para fazer frente a esse mal", disse Michel Temer.

Temer chegou em Lima na tarde nesta sexta-feira (13). É a primeira vez que Temer vai à cúpula como presidente. Na última edição, em 2015, no Panamá, ele ainda era vice.

Antes de discursar, o presidente participou da foto oficial do encontro e da sessão plenária, ao lado dos demais chefes de Estado.

Ainda neste sábado, o presidente deve se reunir com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, e participar de uma audiência com o congressista norte-americano Paul Cook.

O retorno de Temer para Brasília está previsto no início da tarde deste sábado.

Autoridades posam para foto oficial na Cúpula das Américas (Foto: Divulgação/Presidência da República) Autoridades posam para foto oficial na Cúpula das Américas (Foto: Divulgação/Presidência da República)
Autoridades posam para foto oficial na Cúpula das Américas (Foto: Divulgação/Presidência da República)
Antes de embarcar para o Peru, Temer transmitiu a Presidência da República, à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ela assumiu em razão das ausências dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), ambos em viagem ao exterior.

Rodrigo Maia embarcou nesta quinta (12) para o Panamá. Lá, ele participa de reunião do Parlatino, o parlamento latino-americano. A previsão é de retorno também no sábado.

Eunício embarcou para uma visita oficial ao Japão, com previsão de retornar apenas no fim de semana seguinte.

O presidente Michel Temer durante entrevista em hotel, em Lima, no Peru (Foto: Alan Santos/Presidência da República) O presidente Michel Temer durante entrevista em hotel, em Lima, no Peru (Foto: Alan Santos/Presidência da República)
O presidente Michel Temer durante entrevista em hotel, em Lima, no Peru (Foto: Alan Santos/Presidência da República)