Sobrenome pode revelar valor do salário

Sobrenome pode revelar valor do salário

Dados do Ministério do Trabalho revelaram que no Brasil, graças a desigualdades históricas, dá para adivinhar o salário de alguém só pelo sobrenome.Segundo o levantamento feito por Leonardo Monasteri

Leia tudo

Dados do Ministério do Trabalho revelaram que no Brasil, graças a desigualdades históricas, dá para adivinhar o salário de alguém só pelo sobrenome.

Segundo o levantamento feito por Leonardo Monasterio, pesquisador do Ipea (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas), existem cinco diferentes grupos de origem no Brasil, após avaliação de 71,7 mil sobrenomes distintos: italiana (26.191), alemã (22.502), ibérica (10.142), europeia do leste (7.581) e japonesa (5.375).

Segundo uma análise publicada pela BBC, os nomes Silva, Sousa, Costa, Pereira e Oliveira – todos de origem portuguesa – são os mais populares do País: estão no RG de 45% dos trabalhadores brasileiros.

Por outro lado, se for feito um ranking com os 100 sobrenomes que recebem os maiores salários do Brasil, o jogo vira: 43 deles são de origem alemã, 22, de origem italiana, e só 17 vêm da península Ibérica (Portugal e Espanha). Uma distorção notável considerando que 88,1% das pessoas com carteira assinada – independente do salário – têm um último nome de origem ibérica.

Em comparação com um homem branco de sobrenome ibérico – um “João Silva” básico, adotado como padrão – uma pessoa de nome japonês ganha 18% mais por hora. Se o nome for alemão, italiano ou árabe, 8%. Por outro lado, indígenas e negros (que, em geral, tem nomes cristãos ou ibéricos) têm salários respectivamente 10% e 5% menores que o do Silva genérico. 

Fonte: Superpride

Posts Relacionados