Sistema flagra fraudes em cartões de gratuidades no transporte público de Juiz de Fora!!!

Sistema flagra fraudes em cartões de gratuidades no transporte público de Juiz de Fora!!!

Um sistema de tecnologia de reconhecimento facial flagrou apenas no mês de julho de 2017 mais de 33 irregularidades na utilização dos cartões de gratuidades utilizados nos ônibus em Juiz de Fora. O

Leia tudo

Câmeras instaladas nos coletivos fazem reconhecimento facial. Apenas em julho de 2017 foram constatadas mais de 33 mil irregularidades.

Um sistema de tecnologia de reconhecimento facial flagrou apenas no mês de julho de 2017 mais de 33 irregularidades na utilização dos cartões de gratuidades utilizados nos ônibus em Juiz de Fora. O sistema ainda está em fase de testes e está instalado nos 602 veículos do transporte coletivo.
O benefício do cartão que garante a gratuidade é concedido por lei a idosos, estudantes de escolas públicas, pessoas com deficiência e acompanhantes. Ao todo, mais de 44 mil pessoas disfrutam do benefício em Juiz de Fora.
O uso inadequado do cartão é considerado fraude e o sistema instalado nos coletivos está flagrando diversas irregularidades. Os cartões têm sido utilizados por pessoas que não têm o direito ao benefício, que compram ou pegam emprestados.
“O beneficiário cede o cartão para outras pessoas, para a utilização indevida. Existe até a situação do comércio de cartões, em que a pessoa vende o cartão e acaba passando o direito que é dele”, explicou a gerente dos Consórcios Integrados do Transporte Urbano (Cinturb), Cláudia Ferreira.
O sistema funciona através das câmeras instaladas nos ônibus que fotografam os rostos dos passageiros quando passam pela roleta. As imagens são enviadas para o banco de dados das concessionárias de transporte onde é feito o trabalho de auditoria para identificação das fraudes.
De acordo com os dados da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra), no mês de julho foram selecionadas mais de 460 mil imagens, nas quais foram identificadas mais de 262 mil suspeitas de fraude e mais de 33 mil passagens irregulares.
O secretário de Transporte e Trânsito, Rodrigo Tortoriello, os maiores prejudicados pelas fraudes são os próprios usuários do transporte coletivo.
“Esse prejuízo é da população. Porque quando a gente faz o cálculo tarifário, a gente divide o custo total do transporte coletivo pelo número de passageiros pagantes. Quanto maior o número de gratuidades, maior é o valor da tarifa. Porque quem paga pelo transporte está pagando para os não pagantes”.
Sistema flagra fraudes em cartões de gratuidades no transporte público de Juiz de Fora!!!