Polícia pede para Justiça prorrogar prisão de suspeito do caso Vitória

Polícia pede para Justiça prorrogar prisão de suspeito do caso Vitória

A Polícia Civil pediu a prorrogação da prisão temporária do único suspeito de participar da morte da menina Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, 12 anos, encontrada no último sábado (16) depois de ficar

Leia tudo

A Polícia Civil pediu a prorrogação da prisão temporária do único suspeito de participar da morte da menina Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, 12 anos, encontrada no último sábado (16) depois de ficar desaparecida por oito dias na região de Araçariguama (50 km de São Paulo).

A informação foi confirmada pela delegada responsável pela investigação, Bruna Madureira.

O único suspeito do caso está preso temporariamente desde sexta-feira (15). O prazo da prisão termina nesta quarta-feira (20), por isso a polícia já pediu a prorrogação — para o suspeito não voltar às ruas.

Segundo a delegada Bruna, a Justiça ainda não retornou sobre o pedido. Caso seja aceito pela juíza, o suspeito deve ficar pelo menos mais 30 dias detido durante as investigações do caso.

Segundo a polícia, o suspeito teria mudado de versão diversas vezes. Em um dos depoimentos na delegacia de Araçariguama, o homem teria dito que deu carona à Vitória no dia do sumiço, dia 8 de junho.

A perícia analisou o carro do suspeito e não constatou evidências de que a menina teria passado pelo veículo. Durante as investigações, policiais teriam colhido informações com amigos do suspeito, que disseram que ele tem costume de mentir, assumindo crimes que não cometeu para, supostamente, sustentar uma fama de "bandido" na região.

O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil que, até o momento, apontou apenas o detido como suspeito de participação no crime. O processo está em segredo de Justiça desde um dia antes do corpo da menina ser localizado.