Não queremos ser conhecidos como o País da propina, diz Moro após receber prêmio nos EUA

Não queremos ser conhecidos como o País da propina, diz Moro após receber prêmio nos EUA

Em cerimônia de formatura na Universidade de Notre Dame, nos Estados Unidos, o juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, disse que “ninguém está acima da lei” e que esta é uma lição não apenas para o Brasil, mas até “para democracias maduras”.

Leia tudo

O magistrado citou o número de condenados por lavagem de dinheiro e corrupção na Operação Lava Jato – 157 –, e lembrou, sem citar nomes, que entre eles há empresários e políticos de alto escalão como um ex-governador (Sergio Cabral), um ex-ministro da Fazenda (Antonio Palocci), um ex-presidente da Câmara (Eduardo Cunha) e "até mesmo um ex-presidente (Lula)".

"Não queremos ser conhecidos como o País da propina, mas como uma forte e moderna democracia, com a regra da lei”, disse.

Moro foi o principal orador da cerimônia, posto que já foi exercido pelos ex-presidentes dos EUA George W. Bush e Barack Obama. No ano passado, o atual vice-presidente, Mike Pence, fez o discurso.