Mulheres estão à frente de 43% dos negócios do país

Mulheres estão à frente de 43% dos negócios do país

A coragem e a visão de futuro são marcas de mulheres que fizeram seu próprio destino, investindo naquilo que acreditavam. Cada vez mais na liderança de empresas, elas dão aos negócios criatividade e

Leia tudo

A coragem e a visão de futuro são marcas de mulheres que fizeram seu próprio destino, investindo naquilo que acreditavam. Cada vez mais na liderança de empresas, elas dão aos negócios criatividade e destacam-se pela atenção e cuidado com detalhes, característica bem feminina, que faz a diferença. Não à toa, um estudo da Serasa Experian revelou que mais de cinco milhões de brasileiras são empreendedoras.

Elas estão à frente de 43% dos negócios do país, a maior parte (98,5%) atuando como microempreendedora individual ou sócias de micro e pequenos negócios. E com força e vontade não precisa de muito para começar.

rova disso é Mariana Plaster, que começou há nove anos com uma cadeira e um espelho dentro de uma salinha recebendo clientes para fazer um mega hair, em Jacaraípe, na Serra. Hoje, ela dá palestras e cursos sobre sua técnica fora do país e tem um salão no Centro Empresarial do Shopping Mestre Álvaro, da Sá Cavalcante, na Serra.

Ela conta que sempre teve o espírito de investidora. Ainda na escola, vendia chup-chup para ter dinheiro na Páscoa, comprar chocolate e fazer ovos que também seriam comercializados. Assim fazia render seu dinheiro.

Com persistência e planejamento, o pequeno salão em Jacaraípe foi reformado, depois de um ano de funcionamento, e por lá ela continuou por mais seis anos, ganhando fama e recebendo gente de toda a Grande Vitória. Foi então que decidiu que era hora de buscar mais conforto para sua clientela e também encontrar um espaço mais central para quem era de fora da Serra.

“Comecei a ter público de Vitória, Vila Velha e até Guarapari. Aí busquei um lugar com segurança e boa localização e, desde então, estou há dois anos no centro empresarial do shopping. Depois que mudei, o negócio tornou-se outra coisa. Aqui temos conforto, estacionamento. As pessoas vêm e trazem as famílias para passear no no shopping. Recebo até gente de outros Estados”, diz.