Moradora transforma parte de rua em 'vila de cães'em Itaquaquecetuba

Moradora transforma parte de rua em 'vila de cães'em Itaquaquecetuba

O final de uma rua estreita e sem saída em Itaquaquecetuba (SP), que servia para carros e caminhões manobrarem, foi invadida e se transformou em uma "vila de cães", com dezenas de c

Leia tudo

O final de uma rua estreita e sem saída em Itaquaquecetuba (SP), que servia para carros e caminhões manobrarem, foi invadida e se transformou em uma "vila de cães", com dezenas de casinhas. Segundo os moradores são mais de 200 animais que vivem precariamente no local. Embora cada um tenha uma casa, quem vive perto da área afirma que eles não recebem comida ou água da mulher que os colocou no local. A Prefeitura afirma que, apesar de não ter asfalto, o trecho faz parte da via pública e que a mulher já foi notificada e tem prazo de 30 dias para desocupar a área. O G1 não conseguiu contato com a invasora.

O endereço dos cães é o final da Rua Laguna, no bairro Chácara Água das Pedras. Até uma cerca de madeira foi colocada para separar este trecho da via do restante. Os moradores usavam essa parte da rua como "rotatória" para retornar.

“Ela foi colocando os cachorros na rotatória. Deve ter uns 200 cães ali. E não tem espaço para manobrar carro porque a nossa rua é estreita. O caminhão de lixo tem que sair de ré da rua porque não tem espaço para manobrar”, conta Sidneia da Silva Vieira.

O aposentado Gilmar Antonio Vieira mora há dez anos na rua e reclama que o problema não é só a ocupação da rotatória. “O cheiro é muito ruim. Não dá nem para ficar no quintal de casa. Com chuva e sol piora ainda mais.”

O pintor Emerson Francisco Silva de Carvalho é morador da via há um anoe quer que os cachorros sejam retirados da rotatória. “Quando chove e a gente vai manobrar na rua chega a bater nos muros. E tem o barulho dos cachorros ainda por cima.”

A Prefeitura de Itaquaquecetuba informa que notificou a moradora para que retire os animais da a área em um prazo de 30 dias. A administração afirma que não descarta fazer uma parceria com algum abrigo.

Segundo a Prefeitura, os cães não ficarão desassistidos e a moradora terá o apoio necessário caso deseje levar os animais para outro local

Moradora transforma parte de rua em 'vila de cães'em Itaquaquecetuba

Posts Relacionados