MODELO DE RELATÓRIO DE ATIVIDADES PAIC

MODELO DE RELATÓRIO DE ATIVIDADES PAIC

Email: ……………………………. Fone (…) ……………… INEP –00000000 Alfabetizadores: .......................................................................................................

Leia tudo

Email: ……………………………. Fone (…) ………………
INEP –00000000
Alfabetizadores: .......................................................................................................
.......................................................................................... (Apoio)
Ano/Série:.........................Ano Turno:................. Turma:..........................
Quantidade de Alunos:.........Alunos Localização:............................................





- RELATÓRIO DE ATIVIDADES COM SEQUENCIA DIDÁTICA –





















Soledade
2015
1º E 2 º ANO multi
2015


“SACI-PERERÊ”



Área: Língua Portuguesa, Matemática e Arte
Produtores: Alunos do 1º e 2º Ano Turma: MULTI
Duração: Uma Semana
1 – TÍTULO: Parlendas e Lendas.

2 - OBJETIVOS

- Ampliar o repertório literário.
- Participar de interações orais em sala de aula, sugerindo e respeitando os turnos de fala, colaborando assim em situações de produções de textos coletivos, por meio da atividade de um escriba.
- Refletir sobre as características do sistema de escrita alfabética.
- Ler textos conhecidos de memória, utilizando estratégias de leitura.
- Avançar no conhecimento sobre o funcionamento do sistema de escrita e na aquisição da leitura e da escrita convencional.
- Desenvolver o comportamento de leitor e escritor durante o processo de produção textual.
- Resolver situações-problema utilizando estratégias próprias.
- Registrar a sequência numérica.
- Explorar algumas modalidades de artes visuais.

3 - JUSTIFICATIVA

Em geral, as crianças sentem-se muito atraídas pelas parlendas, por ser um tipo de texto com ritmo e sonoridade que diverte e ensina, favorecendo as atividades com oralidade, leitura e escrita. O mesmo acontece com as lendas; as crianças gostam muito de ouvir e contar histórias e aprendem muito ao fazer isso. As histórias são o passaporte de entrada no mundo da escrita e para sua formação de leitor.
É ouvindo histórias que os alunos desde cedo vão se apropriando da estrutura de uma narrativa, das regras que organizam esse tipo de discurso, e é esse conhecimento que lhes possibilita compreender outras narrativas, lê-las, recontá-las e reescrevê-las.
Ao realizar um reconto, os alunos recuperam os acontecimentos da história; e na reescrita eles precisam coordenar as tarefas, mesmo que o escriba seja o professor, os alunos precisam recuperar os acontecimentos e organizá-los, controlar o que já foi escrito e o que falta escrever. Ao realizar essas tarefas eles estão aprendendo sobre o processo de composição de um texto escrito.
O trabalho com os gêneros textuais parlendas e lendas oportuniza as crianças o conhecimento e valorização desses tipos de textos como patrimônios da cultura popular.

4 - CONTEÚDOS

- Participação em situações de oralidade, leitura, escrita e produções textuais, oportunizando avanços na aprendizagem.
- Repertório variado de lendas e parlendas.
- Apropriação do sistema de escrita.
- Comunicação de estratégias pessoais na resolução de situações-problema.
- Leitura, escrita e ordenação de números.
- Experimentação em modalidades de artes visuais.

5. METODOLOGIA DA SEQUÊNCIA
1º Dia:

Leitura realizada pela professora: O saci-pererê – Jonas Ribeiro.
Exploração do livro “Amigos do folclore brasileiro” – Jonas Ribeiro, observando e levantando hipóteses sobre a capa, nome do autor e ilustrador, ilustrações e títulos das lendas.

1. Leitura da parlenda “Saci-pererê”.

2. Texto fatiado: ordenar a parlenda “Saci-pererê”.

3. Escrita da parlenda “Saci-pererê”.

4. Leitura pela professora de outra versão da lenda: O saci-pererê – Rosa Clemente.
Reconto da lenda, recuperando a sequência do texto.
Reescrita coletiva da lenda, tendo a professora como escriba.

2º dia:

1. Recortar os nomes das figuras que aparecem na lenda, e colá-las na figura correspondente.

2. Leitura da parlenda: “A noivinha do saci”.
Responder três questões acerca da parlenda.

3. Completar a sequência numérica.

4. Leitura de outra parlenda do saci-pererê.
Identificar palavras no texto:
- pintar de vermelho a palavra “fumaça”;
- sublinhar a palavra “cachimbo”;
- circular a palavra “perna”;
- pintar de azul a palavra “boca”.

5. Texto lacunado.

6. Encontrar os objetos que o saci escondeu e escrever os nomes.

3º dia

1. Dobradura do saci.

2. Resolver situações-problema.

3. Assistir o DVD do Sítio do Pica Pau Amarelo “O Saci”.

4. Teste de conhecimento sobre o folclore. A professora fez a leitura e os alunos marcaram a alternativa correta.

4 º dia

1. Escrita do nome dos personagens das lendas.
Escrever outras palavras que começam com a mesma sílaba, dos nomes dos personagens escritos.

2. Fazer gráfico sobre a preferência de lendas da turma.

3. Escolher um personagem do folclore para desenhá-lo.

5 º dia

1. Cruzadinha

2. Passatempo: Labirinto e Jogo dos 7 erros.

3. Leitura pela professora: O casamento do Boitatá com a Mula-sem-cabeça – José Santos.

4. Leitura de outras lendas para a turma e outras turmas da escola feita por grupos de alunos do 1 º e do 2 º ano.(durante toda semana).

5. Apresentação na área coberta da escola da lenda do saci Pererê para toda escola.

6. RESULTADOS

O trabalho com sequências didáticas permite a elaboração de contextos de produção de forma precisa, por meio de atividades e exercícios múltiplos e variados com a finalidade de oferecer aos alunos noções, técnicas e instrumentos que desenvolvam suas capacidades de expressão oral e escrita em diversas situações de comunicação, (Dolz, 2004).
Piaget (1973):






Neste contexto, os alunos desenvolveram habilidades de Leitura e produção de textos orais e escritos, especialmente de histórias, produção de textos mediada pela participação e registros das professoras, leitura e escrita espontânea, participação em jogos e brincadeiras com a linguagem, entre outros. As crianças foram encorajadas a raciocinar sobre a escrita alfabética, compreendendo seus usos e funções sociais. Desenvolveram sua sensibilidade e expressão, através de suas próprias experiências, pelo fazer artístico. Realizaram Registros de situações problema, inicialmente de forma espontânea e posteriormente, usando a linguagem matemática, fizeram uso de jogos e situações problema envolvendo a troca de ideias entre as crianças com a intervenção das professoras sempre com questionamentos sobre a lógica das crianças levando-os, à construção conjunta do aprendizado.


7. RECURSOS E MATERIAIS

- Livro Amigos do folclore brasileiro – Jonas Ribeiro.
- Livro O casamento do Boitatá com a mula-sem-cabeça e outros poemas de amor – José Santos.
- DVD do Sítio do Pica Pau Amarelo “O Saci”.


8. ESTRATÉGIAS E/OU ATIVIDADES DIFERENCIADAS

- Na atividade de texto fatiado, os alunos em hipótese de escrita pré-silábica e silábica sem valor, deverão ordenar o texto em frases ou em duplas com alunos que estão numa hipótese mais avançada. Os demais, deverão ordenar a parlenda em palavras.
- Os alunos em hipótese de escrita pré-silábica e silábica sem valor poderão fazer as atividades de escrita em duplas com outros alunos que estão numa hipótese mais avançada.
- A professora deverá ler outras lendas, a fim de repertoriar os alunos sobre este gênero.


9. AVALIAÇÃO

Nessa sequência didática, os alunos puderam ampliar o repertório de lendas e de textos que sabem de cor (parlendas), refletir sobre as características do sistema de escrita alfabética e participar de atividades de leitura.
Algumas atividades foram feitas em duplas, já que na sala as crianças se encontram em diferentes hipóteses de escrita.
Durante a reescrita coletiva da lenda do Saci-pererê, algumas crianças tiveram uma participação mais ativa, algumas ficaram só ouvindo, outras quiseram falar todas de uma vez, mas ao realizar essa atividade, elas estão aprendendo sobre a composição de um texto escrito, que devem falar cada uma de uma vez, que precisam ir lendo para ver o que já foi escrito e o que falta escrever, ou seja, aprendem a utilizar procedimentos de reescrita de textos.
Achamos bacana trabalhar com lendas, já que as crianças gostam bastante desse gênero. Algumas histórias elas já conheciam, outras não, e com a leitura de diversos textos e de diferentes autores, elas ficam conhecendo que uma mesma história tem diferentes versões, ao mesmo tempo que estão aprendendo sobre as características das lendas.

10. REFERENCIAS

1. DOLZ, J. et al. (2004) Gêneros orais e escritos na escola/ tradução e organização ROJO R.; CORDEIRO, G. S., Campinas, SP: Mercado de Letras.
2. PIAGET, J. O tempo e o desenvolvimento intelectual da criança. In: Piaget. Rio de Janeiro: Forense,1973.
3. http://www.pacto.mec.gov.br/