Milícia acerta as contas com PM que fazia cobrança para grupo rival no Rio de Janeiro

Milícia acerta as contas com PM que fazia cobrança para grupo rival no Rio de Janeiro

Rio — Um policial militar reformado foi morto após ser atingido por vários tiros no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O assassinato aconteceu na Praça Miguel Osório, por volta das 20h

Leia tudo

Rio — Um policial militar reformado foi morto após ser atingido por vários tiros no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O assassinato aconteceu na Praça Miguel Osório, por volta das 20h desta terça-feira. Anderson Claudio da Silva, de 48 anos, estava no interior de um automóvel, modelo BMW, quando foi surpreendido pelos assassinos, segundo o relato de testemunhas. Ele morreu no local.

De acordo com moradores, o subtenente reformado havia deixado um dos prédios que margeiam a praça, onde iria fazer uma cobrança. Ele entrou no carro momentos antes de os atiradores chegarem. Houve confronto. Ainda conforme os relatos, outro homem envolvido no tiroteio foi atingido, mas conseguiu fugir.

— Foram mais de 30 tiros. O chão estava cheio de balas. Os tiros foram de fuzis. Todo mundo ficou muito assustado. Tinha gente na praça na hora. Esse lugar já foi calmo, e agora acontecem essas coisas — disse uma testemunha, que pediu para não ser identificada.

O BMW ficou com várias marcas de disparos na frente e lateral. A Polícia Militar foi chamada em seguida. Quando os PMs chegaram ao local, os atiradores já haviam fugido. No interior do carro, foi encontrada uma arma.

O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital (DH). Os agentes da especializada realizaram a perícia. O procedimento terminou já no início da madrugada desta quarta-feira. A Polícia Civil apura as circunstâncias e a motivação do assassinato..

Não muito longe dali, um homem foi preso por policiais militares na Avenida Salvador Allende. Ex-policial militar, David Soares Batista, de 48 anos, estava baleado em uma das pernas no interior de um automóvel modelo HB20.

Aos policiais, ele negou participação no assassinato que ocorrera no Recreio dos Bandeirantes. Alegou ainda, contaram PMs, que havia sido roubado por bandidos, que teriam levado sua moto, e o deixaram naquele local, dentro do automóvel. No interior do porta-luvas, os policiais militares encontraram uma pistola.

Ferido, ele foi levado para o Hospital municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, também na Zona Oeste. Na unidade, ele passou por cirurgia durante esta madrugada. Ele está preso sob custódia no local. A Polícia Civil apura se há alguma ligação entre os casos.

O PM reformado Anderson da Silva ingressara na corporação em 1989 e tinha um filho.