Lembra do garoto que fumava 40 cigarros por dia? Veja

Lembra do garoto que fumava 40 cigarros por dia? Veja

Conhecido mundialmente por seu vício precoce em cigarro, sete anos depois ele volta a ser

Leia tudo

Conhecido mundialmente por seu vício precoce em cigarro, sete anos depois ele volta a ser notícia.

O filipino Ardi Rizal se tornou conhecido mundialmente após ser flagrado fumando com apenas 1 anos e 6 meses de idade. O menino, que ainda tinha dificuldades para se locomover sozinho e vivia rodeado de crianças na aldeia onde morava com a família, é até hoje o caso mais conhecido de criança viciada em cigarro.


O vício do menino era tão grande e desenfreado que, em 2010, Ardi fumava cerca de 40 cigarros diariamente enquanto brincava. Ele, que passou a fumar incentivado por seu pai, não conseguia mais ficar sem a nicotina em seu organismo. A falta da substância o deixava excessivamente agressivo e inquieto.
Após uma série de reportagens feitas por diversas emissoras de TV do mundo todo sobre o menino fumante, a notícia se espalhou rapidamente e passou a ser assunto em uma série de instituições que lutam em prol do bem-estar das crianças e dos adolescentes.
Tamanha foi a repercussão do caso que o governo das Filipinas voltou sua atenção para o problema nacional e implantou programas para combater o vício infantil no país.

De acordo com dados revelados pela Agência Central de Estatísticas, estima-se que cerca de 25% das crianças com idade entre 3 e 15 anos daquela região fazem uso do cigarro, sendo que 3,2% delas já são fumantes ativas. O caso do menino Ardi é um caso considerado extremo, mas que claramente exemplifica um problema geral da população daquela área.

Com o caso do menino sendo citado frequentemente pelos principais jornais na época e com os pais recebendo fortes ameaças devido à falta de zelo com o filho, a mãe de Ardi foi surpreendida com uma proposta feita pelo governo local, que prometeu presentear a família com um carro, caso o menino deixasse o vício.
Entusiasmados com a promessa de receberem um veículo, todos na casa se empenharam em contribuir para que o menino deixasse o cigarro.

A tarefa, que foi árdua e delicada, foi vencida graças ao empenho e às diversas sessões de terapia pelas quais Ardi passou durante a abstinência. Após deixar o cigarro, Ardi desenvolveu uma compulsão por comidas gordurosas e se tornou uma criança obesa e com a autoestima baixa.

Para não fumar e perder todo o progresso, o menino começou a comer demasiadamente e chegou a ver sua saúde totalmente comprometida.
Com o passar do tempo, Ardi foi intensificando suas terapias ocupacionais e se livrando do vício compulsivo por comidas gordurosas. Atualmente com 12 anos, ele consegue levar uma vida saudável e se considera totalmente livre dos vícios que o consumiam.