Confirmado: Bolsonaro diz que participará de todos os debates e levará propostas

Confirmado: Bolsonaro diz que participará de todos os debates e levará propostas

O deputado federal Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à Presidência da República, afirmou em vídeo divulgado nesta segunda-feira (25) por meio das redes sociais, que irá participar de todos os

Leia tudo

O deputado federal Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à Presidência da República, afirmou em vídeo divulgado nesta segunda-feira (25) por meio das redes sociais, que irá participar de todos os debates, desmentindo informações divulgadas na semana passada de que não comparecer aos embates com outros candidatos antes do primeiro turno fazia parte da sua estratégia de campanha.

"Nos debates na televisão compareceremos a todos sim, podem ter certeza até porque estaremos levando propostas factíveis que vocês acreditam que podem ser atingidas", disse no vídeo, que disse ser de "muitos dias atrás", sem especificar a data.

A informação de que Bolsonaro não participaria de debates foi divulgada pelo colunista do jornal O Globo Ancelmo Gois, que afirmou que a ideia do ex-militar seria focar em transmissões ao vivo nas redes sociais e conversar com eleitores no horário reservado aos debates na TV aberta. Um dia depois, o mesmo jornal trouxe reportagem afirmando que Bolsonaro avaliava não participar dos debates.

"Eu não falei com ninguém da imprensa. A imprensa tem dito que não comparecerei a debates, diz que eu estou fugindo de debates. Não houve até o momento nenhum debate, por que eu estou fugindo?", questionou.

Tirando Lula, que está preso após ser condenado em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Bolsonaro está em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto. Os candidatos não só obrigados a participar de debates eleitorais.

O deputado federal já faltou a eventos que contava com a participação de outros pré-candidatos. Após várias tentativas por parte do UOL, SBT e Folha de S. Paulo, Bolsonaro se negou a participar da sabatina promovida pelos três veículos de comunicação, alegando problemas de agenda para aceitar o convite. Ao pré-candidato, foram oferecidas pela organização diversas opções de data ao longo do mês de maio e junho. Na tentativa de facilitar o deslocamento do deputado federal, também foi dada a ele a opção de realizar a entrevista em Brasília.

Foram convidados os seis candidatos à Presidência mais bem colocados na pesquisa Datafolha divulgada em 16 de abril. Apenas ele não compareceu aos estúdios do UOL, em São Paulo, para responder às perguntas dos jornalistas.

Estacionado nas sondagens eleitorais na casa de um dígito, o tucano Geraldo Alckmin fez piada nas redes sociais com a notícia de que Bolsonaro não participaria dos debates. "Adivinha quem vai fugir dos debates", postou o pré-candidato do PSDB no Twitter junto a um vídeo que mostra uma montagem com a cabeça de Bolsonaro e o corpo de uma criança.

Collor, Lula e FHC já se negaram a participar de debates
Os debates eleitorais com presidenciáveis são realizados pelas televisões brasileiras desde as eleições de 1989, a primeira após a ditadura militar. O então candidato do PRN ao Planalto, Fernando Collor de Mello, se recusou a ir aos seis debates promovidos pelos canais de televisão antes de primeiro turno da eleição para presidente.

Acabou indo para o segundo turno com 30,47% dos votos válidos, disputando a vaga do Executivo federal com o petista Luiz Inácio Lula da Silva. Apesar de faltar no primeiro turno, Collor participou de debates com Lula no segundo turno das eleições.

Em 1994, foi a vez de Lula se recursar a participar do primeiro debate entre candidatos à Presidência, promovido pela antiga TV Manchete e organizado pela Associação Comercial do Rio de Janeiro. O petista recusou a participar afirmando ter um compromisso com os caminhoneiros na hora do debate, que foi transmitido ao vivo às 22h30 do dia 25 de julho de 1994. Na época, o presidente da associação, Humberto Mota, lamentou a falta do petista. "Acho lamentável que Lula não possa comparecer. Sua atitude repete a de Fernando Collor, que não ia aos debates", disse.

Na eleição seguinte não houve debate televisionado. Alegando falta de espaço na agenda, Fernando Henrique Cardoso (PSDB) não foi a um debate promovido por CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), Conic (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs), MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e outras entidades de defesa da cidadania. A ausência de Fernando Henrique Cardoso foi anunciada antes do início do debate promovido em junho de 1998, arrancando vaias do público presente, sendo duramente criticada por Lula.

Ciro Gomes, candidato do PPS à época, estava confirmado, mas não conseguiu chegar a tempo para o debate, por falta de condições de voo.

Em 2002, Lula participou dos debates televisivos do primeiro turno, mas aceitou participar apenas de um dos três agendados para o segundo turno. O adversário dele, José Serra (PSDB), criticou o petista afirmando que ele não ia e mandava sua "tropa de choque para tumultuar". O debate aconteceu no dia 25 de outubro daquele ano.

Na campanha à reeleição, Lula faltou ao último debate, promovido pela TV Globo três dias antes do primeiro turno das eleições de 2006. Ele foi o personagem mais citado e criticado no debate. Líder das pesquisas de intenção de voto, Lula fez suspense durante todo o dia sobre a ida ao debate e, de última hora, afirmou que não participaria argumentando que não iria para evitar uma "arena de grosserias e agressões, em um jogo de cartas marcadas".

Em 2010, a então candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, não participou de alguns dos debates promovidos antes do primeiro turno, a exemplo do realizado pela TV Gazeta em parceria com O Estado de S. Paulo, um mês antes das eleições daquele ano alegando conflito de agenda.

Na campanha para a reeleição, a então presidente desistiu de participar do debate promovido pela TV Cultura em parceria com O Estado de S. Paulo em 2014, assim como Marina Silva, então candidata do PSB à Presidência, fazendo como que o debate fosse cancelado.

Para as eleições deste ano, seis debates com candidatos à Presidência da República já estão agendados nas emissoras de televisão antes do primeiro turno, marcado para o dia 7 de outubro. O primeiro será promovido pela Rede Bandeirantes no dia 9 de agosto e o último no dia 4 de outubro, pela TV Globo.